Menu

Cliqu       Rádio Cidade Caraá
            Rádio Cidade Caraá  

Somos todos irmãos

16 FEV 2018
16 de Fevereiro de 2018
Estamos ainda em tempo de férias, pleno verão, uma multidão de irmãos e irmãs curtindo nossas praias, juntando-se às nossas comunidades para celebrar sua fé e esperança cristã.

Neste ano, tivemos uma oportunidade a mais para vivenciarmos a fraternidade, a 41ª Romaria da Terra que acolhemos em nossa Diocese e que refletiu o tema: “Mulheres Terra: resistência, cuidado e diversidade”.

Tudo foi preparado com muito carinho, com a participação de muitas mulheres e homens empenhados em oferecer aos romeiros e romeiras um dia inesquecível, que certamente marcou positivamente a vida dos comprometidos com a questão da Terra e os querem mesmo valorizar o protagonismo dos leigos e, em especial, das mulheres em nosso Estado.

Junto com a Romaria chegou também a Campanha da Fraternidade de 2018 com o tema: “Fraternidade e superação da violência”, inspirada num conceito fundamental para construção da paz e superação da violência, expresso no lema: “Vós sóis todos irmãos” (Mt 23, 8).

Essa convicção que ‘somos todos irmãos’ animou nosso coração na acolhida dos veranistas e dos romeiros e romeiras que chegaram de todos os pagos do nosso Rio Grande.

Aceitar a proposição que ‘somos todos irmãos’, aos menos teoricamente falando, penso que seja pacífico para todos. Mas, existencialmente falando, não é tão tranquilo assim. Os preconceitos e discriminações, muitas vezes presentes de modo sutil e inconsciente habitam muitos corações que precisam de conversão.

Enquanto não entrar e se arraigar profundamente em nós essa convicção, nossa colaboração para a superação da violência e a construção da paz não vão decolar.

Precisamos cuidar para não confundir indignação com ódio, pois esses dois conceitos podem estar muito próximos. Podemos correr o risco de pregar o amor e alimentar o ódio.

A indignação com situações de injustiça, violação de direitos, discriminação é sempre virtude. O ódio contra o irmão, por mais mau ou pecador que possa ser, nunca é bom e nem cristão.

Num contexto de violência como o que vivemos é de extrema importância compreender, assimilar e assumir essa verdade: independentemente de raça, cor, sexo, partido político, religião…: “somos todos irmãos!”

Para nós cristãos isso faz parte da nossa identidade, do nosso credo: sabemos e confessamos que somos filhos do mesmo Pai que está nos céus e em Cristo Jesus somos todos irmãos e irmãs.

Segundo o pensamento do papa Francisco: “a fraternidade é uma dimensão essencial do homem, sendo ele um ser relacional. A consciência viva dessa dimensão leva-nos a ver e a tratar cada pessoa como uma verdadeira irmã, um verdadeiro irmão. Sem tal consciência torna-se impossível a construção de uma sociedade justa, de uma paz firme e duradoura”.

Enquanto os homens não se reconhecerem todos como irmãos, não assimilarem o evangelho do perdão e da misericórdia, não aprenderem a pagar o mal com o bem, a rechaçar qualquer forma de violência, não respeitarem as diferenças e não dialogarem com o outro, não teremos nem justiça e nem paz no mundo.

Portanto, o caminho para a paz é sim: aceitar e assumir que todos somos irmãos e buscar vivermos como tais.

 

Para refletir:

1. Olhando o modo como me relaciono com as pessoas e os sentimentos que alimento, posso dizer que sou uma pessoa que ajuda a construir um mundo de paz?

2. Consigo admitir e acolher com alegria qualquer pessoa, mesmo que não comunga com meu pensamento? Onde devo crescer?

 

Texto bíblico: Mt 23,1-12

Por Dom Jaime Pedro Kohl, bispo da Diocese de Osório

 

Voltar


Rádio Católica
Rua canto do meio, 150 - Caraá, RS - Brasil
cep: 95515-000

Tenha você também a sua rádio